The Verset and Fabordão Genres in The Context of Music Manuscript 242 from the Coimbra University Library

Filipe Mesquita de Oliveira

Resumo


Este artigo é o resultado de uma pesquisa exaustiva que tenho desenvolvido em torno do Manuscrito 242 da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (P-Cug MM 242). Copiado durante a segunda metade do século XVI, o MM 242 destaca-se pela importância crucial que possui no quadro do estudo da música instrumental em Portugal, no Renascimento tardio e nas primeiras décadas do século XVII. Nele estão reproduzidos alguns dos primeiros exemplos de tento e fantasia, como o atestam as obras para tecla de António Carrreira (c.1530-c.1594). Para além de um grande número de cópias de motetes, rubricas de Missa, chansons e madrigais escritos por diversos compositores europeus de meados do século XVI, identificados e inventariados por Owen Rees, o manuscrito inclui também diversas peças instrumentais de autoria desconhecida, que ainda não receberam a atenção que merecem. Deste conjunto, seleccionei dois grupos de obras que reúnem pequenas peças instrumentais, as quais irei aprofundar neste artigo. O primeiro grupo, que representa o objecto central deste estudo, é constituído por um conjunto de obras para tecla com melodias em cantochão que proponho incluir nos géneros verso e/ou fabordão para órgão. Pretendo discutir estas obras a partir das suas características formais, estilísticas e interpretativas, assim como a sua inclusão nas práticas de alternatim instrumental no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra durante o período histórico em causa. 


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Copyright (c) 2018 Revista Portuguesa de Musicologia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.