Submissões

Normas de submissão e critérios editoriais

Última actualização em 14 de Novembro de 2014

Este texto em PDF

 

1. Normas de submissão

a) Os artigos podem ser submetidos em permanência para: editors@rpm-ns.pt

b) Os artigos publicados anteriormente ou em processo de avaliação por outras revistas não serão considerados.

c) Os artigos devem ter entre 5.000 e 10.000 palavras no total, incluindo notas de rodapé e referências. Contudo, artigos com maior ou menor extensão também poderão ser considerados.

d) Os artigos devem ser submetidos electronicamente através do e-mail dos editores. As imagens, tabelas e exemplos musicais devem ser enviados em ficheiros independentes.

e) Deve ser incluído, num ficheiro em separado, o título do artigo submetido, o nome do autor, a afiliação institucional (caso se verifique) e os detalhes de contacto, incluindo o endereço de correio electrónico; um resumo breve em inglês (máximo de 250 palavras), no mínimo 5 palavras-chave e a nota biográfica do autor (cerca de 60 palavras).

f) Todo o processo de avaliação é anónimo, pelo que qualquer referência à identidade do autor deve ser ocultada e aparecer apenas no documento anexo ao artigo e na nota biográfica.

g) Os autores são responsáveis por obter as devidas autorizações de reprodução para todos os documentos que propõem para publicação.

h) Caso o artigo seja aceite para publicação, os autores deverão reenviar uma cópia final respeitando as normas de estilo e de formatação da RPM.

j) Os documentos para prova serão enviados electronicamente e devem ser devolvidos o mais rapidamente possível. As provas não se destinam a revisões, pelo que a cópia final entregue no início do processo de produção deverá ser considerada como definitiva.

Para mais informações contactar: rpm@rpm-ns.pt

 

2. Critérios editoriais

2.1. Formatação

Os artigos na Revista Portuguesa de Musicologia são publicados em formato PDF. Os autores podem submeter os seus artigos em MS Word ou outro formato de documento de texto. Todas as imagens devem ter uma resolução de 300 dpi em formato TIFF ou JPEG. Os exemplos musicais devem ser enviados como ficheiros FinaleTM ou SibeliusTM (nestes casos devem ser submetidas as respectivas imagens em TIFF ou JPEG) ou cópias digitalizadas. 

As submissões devem ser revistas cuidadosamente conforme as seguintes regras:

a) Manter uma formatação simples. Usar a fonte Times New Roman, com tamanho 11 para o texto principal, 10 para citações longas e 9 para notas de rodapé. Evitar o uso de negrito ou sublinhado. Os parágrafos não devem ser marcados por indentação. O documento não deve apresentar parágrafos, tabulações ou espaços extra, nem ocultos. 

b)  Os números de nota de rodapé devem aparecer depois dos sinais de pontuação e não devem ser colocados entre parênteses. Os comentários ou esclarecimentos devem ser colocados numa nota inicial, não numerada. 

c)  O tipo e utilização dos sinais de citação no corpo do texto, notas de rodapé, apêndices, legendas e referências bibliográficas devem seguir as normas da língua do texto submetido. Os títulos devem ser colocados em itálico.

d) As citações longas devem aparecer num parágrafo individual, indentado. Este parágrafo deverá ser precedido e seguido de uma linha em branco. As omissões nas citações devem ser indicadas através de reticências entre parênteses rectos. As citações curtas devem ser incorporadas no texto, entre aspas. De acordo com as convenções de cada disciplina, as citações devem aparecer na língua original, sempre que possível. Se a tradução for indispensável, deve seguir a citação do original entre parênteses rectos.

e) A numeração (para compassos, página, anos, etc.) deve seguir o formato indicado (i.e., um ou dois dígitos no número do par, omitindo casas decimais desnecessárias): bb. 20-8; pp. 100-3; Louis Hector Berlioz (1803-69).

f) As referências a sistemas de organização tonal, tonalidades, graus da escala e alturas seguem as regras da língua do artigo em submissão.

g) Legendas de exemplos, tabelas e figuras devem descrever de forma breve o item em questão, cotas, números de compassos e números de página.

h) A localização de todos os exemplos, tabelas e figuras deve ser indicada da seguinte forma:  <Introduzir aqui o Exemplo 1>.

 

2.2. Referências Bibliográficas

Consulte, por favor, o número actual como modelo de formatação e estilo.

As referências bibliográficas aparecem quer nas notas de rodapé, seguindo numeração contínua ao longo do texto ou, no caso do sistema autor-data, de acordo com as convenções da disciplina.

Nas notas de rodapé, a referência completa usando maiúsculas pequenas para o apelido do autor deve aparecer na primeira vez que a obra é citada. A forma abreviada, que consiste no apelido e título abreviado, deve surgir nas vezes seguintes, com indicação da nota de rodapé correspondente à primeira citação da obra, colocada entre parênteses curvos. Não utilizar indicações ambíguas como «ibid.», «loc» ou «cit.». Nos casos em que existem dois ou três locais de edição, dois ou três editores, ou duas datas de publicação, devem aparecer separadas por um hífen, por ex. «Oxford - New York», «Colibri - CESEM», e «1953-4». No caso de existirem mais do que três locais de edição ou três editores, mencionar apenas o principal local ou o primeiro editor e «etc.».

O número de volumes e periódicos aparecem em numeração árabe (por exemplo, 6/1 deverá ser usado para «volume 6, número 1»). As referências a números de páginas de livros ou periódicos são sempre precedidas de p. ou pp. Evitar o uso de pp. 10 seg.; em substituição, referir intervalos de páginas: pp.10-4. Na primeira referência a artigos de livros ou periódicos deve indicar-se a paginação completa, e não apenas a primeira página.

Para o sistema autor-data, as referências citadas devem aparecer no corpo de texto – como (Castelo-Branco 1991, 31) – e a lista completa deve aparecer no final do texto, ordenada alfabeticamente por autor e cronologicamente para cada autor. A lista de referências bibliográficas deve adoptar as normas de estilo da RPM com a adaptações necessárias. Não devem ser incluídas referências bibliográficas que não tenham sido citadas ou mencionadas no texto.

Os títulos de obras em inglês devem ser capitalizados usando o estilo «headline» (i.e., todas as palavras com maiúscula com excepção dos artigos, conjunções, preposições e as palavras «to» e «as»). Para capitalização de títulos de obras em latim e línguas românicas – português, espanhol, italiano e francês – usar estilo «sentence» (i.e., apenas capitalizar a primeira letra da primeira palavra do título e do  subtítulo). No alemão, usar o estilo «sentence» modificado, em que todos os nomes sofrem capitalização. Para os títulos de publicações periódicas e colecções usar o estilo «headline». 

 

Livros

1 Owen Rees, Polyphony in Portugal c. 1530 – c. 1620: Sources from the Monastery of Santa Cruz, Coimbra, Outstanding Dissertations in Music from British Universities (New York - London, Garland, 1995).

2 Rees, Polyphony in Portugal (ver nota 1), pp. 260-4.

Com o sistema autor-data:

Ferreira, Manuel Pedro (1986), O som de Martin Codax: Sobre a dimensão musical da lírica galego-portuguesa (séculos XII-XIV) (Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda)

(Ferreira 1986, 19-22)

 

Artigos em jornais e obras de vários autores

1 João Soeiro de Carvalho, «Performance Culture in Maputo: Categories of Expressive Modes in the Changing of an African Society», Revista Portuguesa de Musicologia, 12 (2002), pp. 253-63, ver p. 257.

2 Carvalho, «Performance Culture in Maputo» (ver nota 1), p. 257.

3 Michel Huglo and Manuel Pedro Ferreira, «O processional português de Chicago», Revista Portuguesa de Musicologia, 14-5 (2004-5), pp. 53-78, ver pp. 73-4.

4 Huglo - Ferreira, «O processional português» (ver nota 3), pp. 73-4.

5 Paulo Ferreira de Castro, «Nacionalismo musical ou os equívocos da portugalidade», in Portugal e o Mundo: O encontro de culturas na música, edited by Salwa El-Shawan Castelo-Branco (Lisboa, Dom Quixote, 1997), pp. 155-62, ver p. 159.

6 Castro, «Nacionalismo musical» (ver nota 5), p. 159.

Com o sistema autor-data:

Castelo-Branco, Salwa (1991), «Cultural Policy and Traditional Music in Portugal since 1974», in Music in the Dialogue of Cultures: Traditional Music and Culture Policy, edited by Max Peter Baumann (Berlin, International Institute for Comparative Music Studies and Documentation), pp. 95-107

(Castelo-Branco 1991, 98-9)

 

Teses e dissertações

1 Rui Vieira Nery, «The Music Manuscripts in the Library of King D. Joao IV of Portugal (1604-1656): A Study of Iberian Music Repertoire in the Sixteenth and Seventeenth Centuries» (Ph.D. dissertation, University of Texas at Austin, 1990).

2 Nery, «The Music Manuscripts» (ver nota 1).

Com o sistema autor-data:

Castagna, Paulo (1991), «Fontes bibliográficas para a pesquisa da prática musical no Brasil nos séculos XVI e XVII», 3 vols. (Master’s thesis, Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo)

(Castagna 1991, 3, 29)

 

Fontes e artigos online

Seguir o formato dos exemplos precedentes, seguidos do endereço web (URL) entre parênteses angulares e a data do último acesso entre parênteses curvos:

Mário Vieira de Carvalho, «Politics of Identity and Counter-Hegemony: Lopes-Graça and the Concept of 'National Music'», Music & Politics, 6/1 (2012) <http://quod.lib.umich.edu/m/mp> (acedido em 13 de Janeiro de 2013).

Portuguese Early Music Database (PEM) <pemdatabase.eu> (acedido em 21 de Julho de 2014).

 

Manuscritos

Nomes de repositórios e colecções devem ser indicados na primeira referência, com a cota; a forma abreviada (se possível usando a sigla RISM) deve ser usada nas referências subsequentes, remetendo para a nota da citação completa:

Primeira citação:

Portugal, Coimbra, Biblioteca Geral da Universidade, MM 12 [P-Cug MM 12], or [Coimbra MM 12].

Citações subsequentes:

P-Cug MM 12, ou Coimbra MM 12

Se o sistema de numeração for por folios, os números devem ser precedidos de «f» ou «ff» e identificados com as letras «r» (recto) ou «v» (verso):

Pierre de la Rue, Mass Iste Confessor Domini, in P-Cug MM 2, ff. 70v-87r.

Se o manuscrito tiver autor e/ou título, deve ser indicado primeiro:

Primeira citação:

1 Breve rezume de tudo o que se canta en cantochaõ, e canto de orgaõ pellos cantores na santa igreja patriarchal, Portugal, Lisboa, Biblioteca da Ajuda, Ms. 49-i-59 [Breve rezume], ou [P-La Ms. 49-i-59].

Citações subsequentes:

2 Breve rezume, f. 24r, ou

2 P-La Ms. 49-i-59, f. 24r.

 

Fontes antigas impressas

A citação completa, mencionando pelo menos compositor ou editor, título em itálico, local, impressor e data entre parênteses curvos, deve ser indicada na primeira referência. A sigla RISM pode aparecer nas vezes subsequentes, remetendo para a citação completa. Se a sigla RISM não estiver disponível deve usar-se a forma abreviada do título:

Primeira citação:

1 Tomás Luis de Victoria, Officium Hebdomadae Sanctae (Roma, Alessandro Gardano, 1585) [RISM V 1432].

Citações subsequentes:

2 RISM V 1432, ou

2 Victoria, Officium Hebdomadae Sanctae (ver nota 1).

Primeira citação:

1 Mateus de Aranda, Tractado de canto mẽsurable: y contrapũcto: nuevamẽte cõpuesto (Lisboa, German Galharde, 1535).

Citações subsequentes:

2 Aranda, Tractado de canto mẽsurable (ver nota 1), ff. b [vii]v-[viii]r.

Se o manuscrito, fontes antigas ou qualquer outra fonte estiver disponível online, a referência deve ser seguida pela identificação da cópia digitalizada (se conhecida) e do endereço (URL) entre parênteses angulares:

Breuiarium secundum consuetudinem sancte Elborensis ecclesie (Seville, Jacob Cromberger, 1528), copy in P-Ln Res. 253 P. digitalização disponível em <http://purl.pt/24656>.

 

Gravações de vídeo e som

Os autores podem adicionar informação que considerem necessária para a identificação precisa da fonte. No sistema autor-data, fontes audiovisuais e gravações devem aparecer em listas separadas.

António Carreira: Tentos & fantasias, João Vaz, órgão (CD Portugaler 2004-2, 2002)

Michel Giacometti: Filmografia completa, coord. Paulo Lima (12 DVD’s, Tradisom, 2010)

  

3. Recensões

A Revista Portuguesa de Musicologia inclui recensões de obras impressas, gravadas ou digitais, relevantes para a actividade dos membros da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música. A revista pretende abranger todas as novas edições de obras impressas e digitais, assim como gravações de vídeo e som publicadas em Portugal e/ou directamente relacionadas com a cultura musical de língua portuguesa. A revista inclui três formatos de recensões:

1. Recensões ensaio, tratando um grupo de títulos relacionados entre si, máxima extensão de 4500 palavras; 
2. Recensão extensa, cerca de 3000 palavras; 
3. Recensão curta, cerca de 1500 palavras.

As regras para formatação e referências bibliográficas são idênticas às das submissões de artigos.

Todos os materiais para recensão devem ser enviados para:

Dr Luísa Cymbron
CESEM, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
Av. de Berna, 26-C
1069-069 Lisboa
Portugal

Ou através do e-mail:  reviews@rpm-ns.pt