Some Observations on Parody Masses by Magalhães, Cardoso and Garro

Owen Rees

Resumo


Este artigo refere-se a quatro missas paródia publicadas em Portugal: 1. O modelo para a Missa Veni Domine de Filipe de Magalhães ­ que não tinha sido anteriormente identificado - é o motete Veni Domine de Francisco Guerrero; Magalhães faz uso de todos os oito motivos do motete; 2. Nenhuma relação musical tinha sido anteriormente estabelecida entre a Missa Anima mea turbata est valde de Manuel Cardoso e o motete de D. João IV com o mesmo incipit, de que só se conhecem duas partes vocais; o motete é na realidade o modelo para a Missa, e a comparação entre as duas obras evidencia não só a técnica de paródia de Cardoso como também aspectos dos hábitos compositivos de D. João IV; 3. O «motivo de cabeça» da Missa O soberana luz de Magalhães poderá ser derivado da Missa Fili quid fecisti nobis sic de Francisco Garro; 4. É possível que a Missa Domine in virtute tua lætabitur rex de Garro tenha sido baseada num motete perdido de Philippe Rogier.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Copyright (c) 2018 Revista Portuguesa de Musicologia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.