“Orfeonizar a Nação”, o canto coral como instrumento educativo e político nos primeiros anos da Mocidade Portuguesa (1936-1945)

Manuel Deniz Silva

Resumo


A Mocidade Portuguesa (MP), organização salazarista de enquadramento da juventude, reservou um lugar importante à música no âmbito das suas actividades de «formação integral». O ministro Carneiro Pacheco, invocando a coeva «lição alemã», apontou mesmo a «orfeonização» do país como um dos desígnios da MP. Procurámos neste artigo mostrar as filiações remotas deste projecto no movimento orfeónico português, de António Arroio a Tomás Borba, e assi­ nalar o papel fundamental de Hermínio do Nascimento na valorização do Canto Coral como instrumento pedagógico e político. Procedemos depois a uma análise musical da secção «marchas e hinos patrióticos» de um dos «Cancioneiro» da MP. Apresentamos enfim uma caracterização dos dispositivos de prática musical no seio da organização, com destaque para a funcionalidade emocional do canto em coro nos desfiles, paradas e outros rituais do poder no Estado Novo.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Copyright (c) 2018 Revista Portuguesa de Musicologia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.